fbpx

O Rio Douro e a sua história

O rio Douro é muito mais do que aquilo que vemos HOJE.

 

A história do Rio Douro

Rio Douro
Foto de: Turismo En Portugal
(https://creativecommons.org/licenses/by/2.0/deed.pt)

 

Considerado um dos principais rios da Península Ibérica, o rio Douro inicia no norte de Espanha, na Serra de Urbión e estende-se até à sua foz no Porto.

Apesar de atualmente ser um rio perfeitamente navegável, os barcos rabelos corriam o rio Douro quando este não era o memorável rio calmo que hoje conhecemos.

Faziam o transporte dos barris de Vinho do Porto até às suas caves, em Vila Nova de Gaia.

O rio Douro representava um desafio e um perigo para quem nele navegava. As suas correntes eram demasiado fortes e existiam pedras meio submersas espalhadas ao longo do decurso.

As faces que rodeavam o rio eram também feitas de rochedos salientes entre curvas apertadas, tornando o rio praticamente indomável.

O tráfego fluvial do Vinho do Porto começou a reduzir nas décadas de 50/60 do século XX, acompanhado pela construção de várias barragens ao longo do rio. O vinho passou a ser transportado, maioritariamente, em camiões-tanque.

 

A Geografia do Rio Douro

É o terceiro maior rio da Península ibérica, depois dos rios Tejo e Ebro. Tem uma extensão de 897 quilómetros, e as suas águas apenas são navegáveis em Portugal, ao longo de 210 quilómetros nacionais.

Do lado espanhol atravessa cinco províncias da Comunidade Autónoma de Castela e Leão: Sória, Burgos, Valladolid, Zamora e Salamanca.

O rio Douro constitui parte da fronteira entre Espanha e Portugal. Na fronteira e nas suas áreas isoladas, foram criadas duas áreas protegidas distintas: O Parque Natural do Douro Internacional (do lado português)e o El Duero Parque Natural de Arribes (do lado espanhol).

São raros os grandes centros populacionais que rodeiam o rio Douro, à exceção das duas grandes cidades do Porto e Vila Nova de Gaia, e populações mais pequenas no Pinhão e Peso da Régua.

A nível nacional, os afluentes mais importantes do rio Douro são o Côa, o Tua, o Sabor, o Corgo, o Távora, o Paiva, o Tâmega, o Sousa e o Febros. Todos eles são pequenos rios, de águas rápidas e não navegáveis.

Em Portugal, o rio Douro atravessa os distritos de Bragança, Guarda, Viseu, Vila Real, Aveiro e Porto. A cidade do Porto é a principal cidade na zona norte de Portugal, sendo o seu centro histórico reconhecido como Património da Humanidade pela UNESCO.

 

A Economia do Rio Douro

O microclima do Vale do Douro é bastante peculiar, permitindo o cultivo de azeitonas, amêndoas e uvas. Nas suas vinhas são colhidas as uvas que se transformam no famoso Vinho do Porto.

O centro deste licor localiza-se em torno das regiões do Pinhão e de São João da Pesqueira. Aqui encontram-se diversas quintas, propriedades de empresas de vinhos multinacionais.

Uma das maiores indústrias turísticas na região são as excursões fluviais desde o Porto até vários pontos ao longo do Alto Douro Vinhateiro.

Os cruzeiros no Douro permitem uma visita mais completa à região, enquanto pode apreciar a paisagem de vários pontos de vista e provar os melhores manjares a bordo.

As cinco barragens do Douro vieram permitir a navegação do rio Douro. O bloqueio mais alto é o da barragem do Carrapatelo, com um desnível de 35 metros entre as duas faces do rio, um dos maiores desníveis da Europa.