fbpx

As seis pontes do Porto

As margens do rio Douro estão ligadas por 6 pontes, permitindo a travessia entre o Porto e Vila Nova de Gaia.

São 6 construções cheias de história, constituindo um marco incontornável da cidade.

Apesar de estas pontes ligarem as duas cidades, é a cidade do Porto quem trata da manutenção e gestão de todas as pontes, sendo essa a razão para o nome que lhes é dado.

As pontes do Porto

Ponte D. LuÍs I

Esta é a ponte mais conhecida do Porto, e a que se encontra na maior parte dos postais da cidade. A construção da Ponte D. Luís I iniciou-se em 1881, sendo inaugurada 5 anos mais tarde.

Desde a sua inauguração até 1920, esteve sujeita ao pagamento de portagens por quem a atravessava.

O seu tabuleiro superior destina-se à passagem do metro e de peões. O tabuleiro inferior é para a passagem automóvel.

A ponte tem 395 metros de comprimento e já foi considerada a ponte com o arco de ferro mais longo do mundo. Foi também classificada como Monumento Nacional em 1982.

 

  • Ponte D. Maria Pia

A Ponte D. Maria Pia constitui a primeira ligação ferroviária da cidade. Era uma das pontes mais importantes do Porto antes da construção da Ponte D. Luís I.

Foi projetada por Gustave Eiffel, o homem que projetou a Torre Eiffel, em Paris.

A sua construção levou menos de dois anos, entre os anos de 1876 e 1877. É ainda Monumento Nacional desde 1982.

Foi inaugurada a 4 de Novembro de 1877, na presença do Rei D. Luís e a Rainha D. Maria Pia, que deu o nome à ponte.

Durante 114 anos, esta ponte deu suporte ao caminho de ferro que ligava o porto a Vila Nova de Gaia, e consequente Lisboa ao Porto.

 

 

  • Ponte da Arrábida

A Ponte da Arrábida foi construída em 1952, devido ao fluxo crescente da cidade. Foi inaugurada em 1963, tendo sido considerada a maior ponte em betão armado do mundo.

Foi projetada pelo engenheiro Edgar Cardoso, um homem conhecido por várias obras arrojadas pelo mundo fora.

Possui quatro elevadores para que os peões possam vencer a distância de 70 metros entre o rio e o tabuleiro, possibilitando a travessia pedonal.

A Ponte da Arrábida é atravessada por uma média de 140.000 veículos por dia.

 

  • Ponte de São João

Devido ao enorme crescimento do tráfego rodoviário e ferroviário, foi necessário fazer uma construção que substituísse a pequena Ponte Maria Pia.

Edgar Cardoso foi novamente chamado para coordenar este projeto.

A Ponte de São João foi inaugurada em 1991, no dia dedicado ao Santo que lhe dá nome.

Julgava-se que a esta ponte iria dar-se o nome do seu engenheiro, autor desta ponte e também da Ponte da Arrábida.

No entanto decidiram homenagear o feriado que festeja o nascimento de São João Baptista.

 

  • Ponte do Freixo

A Ponte do Freixo foi criada em 1995, para dar resposta às necessidades da população. Autoria de António Reis, serve como a entrada e saída da cidade.

Esta ponte é na realidade constituída por duas pontes, construídas lado a lado com uma distância de 10 centímetros entre si.  Permite assim 8 vias destinadas ao trânsito, 4 em cada sentido.

Em média, esta ponte é atravessada diariamente por 100 mil viaturas.

 

 

  • Ponte Infante D. Henrique

Esta é a ponte mais recente, inaugurada em 2003. Começou a ser construída em 1999.

Foi construída para substituir a travessia automóvel que, até então, se fazia pelo tabuleiro superior da Ponte D. Luís.

Com 371 metros de extensão, foi pensada pelo engenheiro José Antonio Fernández, que pertencia a uma empresa espanhola.

É constituída por 4 vias de trânsito, 2 em cada sentido.

 

Depois de saber a história das famosas 6 pontes do Porto, o melhor será fazer um passeio onde as poderá atravessar.

No passeio de barco entre o Porto e a Régua, poderá observar a Ponte da Arrábida antes de partir, passando depois pelas restantes construções.

Observe a paisagem enquanto desfruta do pequeno almoço e almoço a bordo. Despeça-se do Porto, pronto a rumar até ao coração do Alto Douro Vinhateiro.

Ao regressar ao ponto de partida de comboio, escolha o lugar à janela, junto ao rio Douro, para observar as pontes de um ponto de vista diferente.

Deixe-se levar pelas construções imponentes e pela paisagem paradisíaca do Douro.