fbpx

A Linha do Douro e os seus tesouros

Em Julho de 1873 iniciaram-se os trabalhos de construção da Linha do Douro.

A Linha Ferroviária do Douro começou inicialmente por ligar o Porto a Barca d’Alva, num percurso de 203 quilómetros.

Esta foi concluída em 1887, depois de a engenharia conseguir perfurar o seu caminho através de 26 túneis e 30 pontos, vencendo os obstáculos e acidentes naturais.

Atualmente, a linha do Douro realiza o trajeto entre a Estação de Ermesinde e a Estação do Pocinho. O itinerário fica paralelo ao rio Douro, o que explica o seu elevado potencial turístico.

Desde a Estação do Pocinho até à fronteira com Espanha encontram-se as estações de Foz Côa, Almendra e Barca d’Alva.

Todas estão atualmente desativadas, sendo que este troço foi encerrado ao tráfego a 1 de Janeiro de 1985.

O Vinho do Porto e o mundo que se ergue à volta da Linha do Douro são presenças que também não passam despercebidas nesta que é a região demarcada mais antiga do mundo.

Ao longo deste percurso esta linha contorna escarpas e montes, atravessando paisagens cuja beleza vai além do que é possível descrever.

 

Descubra alguns dos tesouros que se encontram ao longo da Linha do Douro.

 

  • Estação do Pinhão
Fachada da Estação do Pinhão
Fonte: Google Imagens

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Estação do Pinhão foi construída no século XIX e é uma das mais bonitas do país, sendo as suas fachadas decoradas com painéis de azulejos que retratam os tempos antigos dos povos da região.

Os azulejos foram colocados em 1937, e representam a paisagem e a forma de viver do povo duriense.

Contêm imagens da produção do vinho do Porto, das vindimas, da pisa das uvas, do transporte do vinho nos barcos rabelos, entre outros episódios tipicamente durienses.

São 3047 azulejos no total e são da autoria de J. Oliveira.

 

  • Estação do Tua

Exterior da Estação do Tua
Fonte: Google Imagens

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Estação do Tua foi inaugurada a 1 de Setembro de 1883 na Linha do Douro.

Situa-se no concelho de Carrazeda de Ansiães.

Além do edifício principal de dois andares, a estação conta com um pequeno museu e um ponto de venda de produtos regionais, como vinho ou compotas.

A estação do Tua foi um importante ponto de embarque de vários produtos agrícolas.

Atualmente, é o ponto de paragem final no percurso do Comboio Histórico.

Num percurso à beira do Rio Douro, as 5 carruagens históricas do comboio turístico, percorrem a distância que vai do Pinhão ao Tua, numa viagem única ao passado.

 

  • Estação do Pocinho

Exterior da Estação do Pocinho
Fonte: Google Imagens

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Estação do Pocinho marca o ponto final da Linha do Douro.

Pertence à localidade do Pocinho, no concelho de Vila Nova de Foz Côa.

É a estação terminal da Linha do Douro desde 1988, devido ao encerramento do troço que se prolongava até Barca d’Alva e Espanha.

Esta estação, tal como a do Pinhão, contêm vários azulejos da autoria de J. Oliveira.

Estes azulejos representam várias cenas rurais do quotidiano duriense.

 

Programa do Comboio Histórico

É considerado um dos passeios de comboio mais bonitos de Portugal.

Comboio Histórico
Fonte: Google Imagens

Todos os Sábados entre o dia 01 de Junho e 26 de Outubro, podemos ver as 5 carruagens históricas, datadas do início do século XX, a circular pela Linha do Douro.

Pode embarcar connosco num cruzeiro desde a Régua até ao Pinhão.

Ao chegar ao Pinhão, basta fazer um pequeno percurso até à estação e embarcar no Comboio Histórico.

A locomotiva a vapor parte do Pinhão, distrito de Vila Real, e segue até ao Tua, concelho de Carrazeda de Ansiães, numa viagem com vista privilegiada para o rio Douro e as vinhas em socalco.

É uma autêntica viagem ao passado.

A viagem tem ainda animação a bordo de um grupo de música e cantares tradicionais da região e um brinde com um Porto Ferreira.

Poderá também saborear os rebuçados da Régua, tradição a cumprir por quem visita esta região.